Redação 7º Festival de Cinema de Santo Ângelo – Curta Metragem

Nesta última terça-feira, dia 15, aconteceu no Salão Marfim da Sede Social, a premiação para a Melhor Redação sobre o 7º Festival de Cinema de Santo Ângelo – Curta Metragem, durante o evento foram exibidos alguns filmes premiados no festival. A Academia Santoangelense de Letras (ASLE) foi a responsável pela avaliação e escolha da Melhor Redação. Na ocasião o Presidente da ASLE, sr. Otávio Reichert anunciou as três melhores redações, as quais foram agraciadas com o livro Afluências do 17º Acampamento da Poesia ‘‘Ventos’’.

A vencedora do Troféu Cisne de Ouro como Melhor Redação foi: ‘‘Ao Olhar’’ de Carine dos Santos Flores, do I. E. E. Odão Felippe Pippi; as demais redações foram: ‘‘Competência Enaltecida’’ de Annamel Brigo Lüdtke, do Colégio Cenecista Sepé Tiaraju, e ‘‘Sétima Arte em Terra de Sepé’’ de Anadeja de Oliveira Rodrigues da Veiga, do I. E. E. Odão Felippe Pippi.

 

Redação vencedora:

Ao Olhar

            Você já deve ter ouvido falar que “os olhos são a janela da alma”. Refletindo sobre o pensamento podemos dizer que no Festival de Cinema de Santo Ângelo, o nosso olhar se voltou para a criatividade de cada curta, a revelação de talento regional e as oportunidades que se dão a partir daqui, fazendo assim os nossos olhos se transformarem nessa janela.

É incrível como nosso olhar pode nos levar a tantos lugares e situações, em fração de minutos ou segundos. Por vezes, somos levados até mesmo a nos imaginar sendo protagonistas da cena; a criatividade misturada com a emoção de cada curta prendeu a nossa atenção, seja ela na animação cômica, no menino apaixonado que era escritor, ou na moça tatuada com frases que arrancou nossos aplausos, a criatividade de cada produtor e de todos os envolvidos foram responsáveis por uma noite memorável.

Prestigiar o talento regional é surpreender e acabar admitindo que não precisamos ir para muito longe quando desejarmos assistir a um bom curta. O filme apresentado, nessa edição, sobre nossa cidade nos trouxe admiração pela qualificação de cenas e de informações; literalmente, nos levou a uma viagem nos trilhos do passado, presente e futuro. A dedicação edificada em cada cena escolhida nos convida a querer conhecer mais sobre nosso passado histórico.

O Festival de Cinema de Santo Ângelo, ainda que tímido, nos traz a oportunidade de transformação, produzir sonhos, seja do menino que quer ser produtor, da moça que sonha em ser atriz ou do senhor que apenas quer assistir ao bom curta. O fato é abriu um leque de oportunidades para a melhoria e a valorização cultural e social da cidade, nos levando a crer que tudo é possível.

Podemos assim dizer que existe muito a ser produzido, esse foi apenas o início de uma longa jornada que discretamente vai tomando sua forma. Nós estaremos aqui com nossos olhos prontos para admirar, interrogar, se emocionar, deixar o nosso olhar aberto para a janela chamada Cinema.



Deixe uma resposta